Como Ajudar Seu Filho a se Comportar Bem em Público

Muitas famílias que querem dar liberdade às crianças em casa têm receio de que fora de casa as crianças queiram ter a mesma liberdade, e agir da mesma maneira que agem no ambiente familiar.

O medo é justificado. Crianças criadas com liberdade vivem em ambientes preparados para elas, então podem, por exemplo, pegar em tudo ou quase tudo que está na sua altura pela casa. Elas podem frequentar todos os cômodos de maneira irrestrita e não precisam pedir antes de se servir de água, comer alguma coisa da geladeira ou trocar de roupas. Dá medo mesmo que fora de casa elas queiram se comportar do mesmo jeito.

Esse medo vem de como entendemos a disciplina. Acreditamos que a disciplina se desenvolve pela obediência. Então, quanto mais uma pessoa precisa obedecer, melhor ela fica em fazer isso. Mas uma criança que vive fazendo as próprias escolhas não tem essa prática toda em se submeter às ordens dos outros. Talvez sua capacidade de obedecer seja reduzida.

Mas não é assim. Nós descobrimos, quando observamos as crianças, que as mais livres também são as mais disciplinadas. Podemos ver como as crianças que têm só três ou quatro regras para seguir, e podem agir com liberdade e independência, como essas crianças têm facilidade de regular o próprio comportamento, de fazer escolhas acertadas e inibir atos que seriam inadequados ou prejudiciais.

Maria Montessori escreveu:

Aquilo que é geralmente reconhecido como disciplina nas escolas [e diríamos, nas casas] tradicionais não é atividade, mas imobilidade e silêncio. Não é disciplina, mas alguma coisa que apodrece dentro da criança, despertando sentimentos rebeldes.

Maria Montessori, Creative Development in the Child

As crianças que precisam obedecer o tempo todo nunca têm a oportunidade de agir por si mesmas, e assim, não fortalecem sua força de vontade e sua capacidade de tomar boas decisões. Fazer boas escolhas não é fácil, e se a criança não pode treinar, quando precisa mesmo escolher como agir (na casa dos tios, na praça de alimentação) essa escolha é um desafio grande demais para ela, e ela erra o tempo todo.

É diferente com a criança que sempre pode fazer suas escolhas e agir de forma independente. Ela treinou bastante suas escolhas, e faz escolhas melhores.

Além disso, a criança que precisa obedecer o tempo todo fica exausta. Pense em como seria passar um dia inteiro só cumprindo ordens. Agora multiplique por todos os anos da sua vida. Você usaria qualquer brecha para escapar e respirar um pouco, certo? É exatamente isso que crianças fazem.

Quando as crianças não têm liberdade, não desenvolvem disciplina. Primeiro, porque não fazem escolhas e não aprendem a fazer escolhas melhores. Segundo, porque estão sempre exaustas, e buscando qualquer oportunidade para experimentar como seria fazer algo por conta própria.

Se, por outro lado, a criança tem experiência em escolher e agir, primeiro ela sabe fazer isso, o que já ajuda. Segundo, e isso é bem importante: uma criança que precisa obedecer pouco não está cansada de obedecer, e aceita se submeter a uma necessidade ou outra, porque sabe que, mais cedo ou mais tarde, retornará para o seu estado de liberdade. É seguro obedecer.

Por isso, se queremos crianças que se comportam bem em público, precisamos de uma casa e uma família que acolham o comportamento livre, a tomada de decisões, a independência e a iniciativa da criança.


Quer descobrir mais sobre os caminhos para viver bem com seus filhos? Veja o que algumas famílias disseram sobre nosso curso Montessori: Viver em Paz com Crianças:

Curso maravilhoso. Gabriel consegue em pouco tempo contemplar muitos assuntos, trazer referências às obras e ainda tocar e emocionar a quem está assistindo. Parabéns!

Inara Felix, Mãe

Quero agradecer imensamente ao Gabriel Salomão por dividir toda sua sabedoria, esse curso foi transformador, mesmo depois de ter feito vários outros cursos, pude aprender demais nesse também! A frase “Birra não existe! O que existe é desespero e revolta” já foi para a parede de anotações e ficará lá…

Jennifer Barbosa, Mãe

Escrito por gabrielmsalomao

"A preparação que nosso método exige do professor é o auto-exame, a renúncia à tirania. Deve expelir do coração a ira e o orgulho, deve saber humilhar-se e revestir-se de caridade. Estas são as disposições que seu espírito deve adquirir, a base da balança, o indispensável ponto de apoio para seu equilíbrio. Nisso consiste a preparação interior, o ponto de partida e a meta." Maria Montessori, em A Criança

Deixe uma resposta