O Enorme Poder das Crianças

Estamos habituados a ajudar crianças, e os melhores pais, mães e professores costumam ser aqueles que procuram sempre as melhores formas de fazer isso. Também acreditamos que somos responsáveis por estimular as crianças, e que os filhos e os alunos de mais sorte são aqueles que recebem mais estímulos.

Essas duas crenças se apoiam em uma só: a ideia de que a criança é insuficiente e precisa de nós.

Este texto quer propor uma mudança radical de perspectiva: nós somos insuficientes. Nós precisamos das crianças. São elas que podem nos ajudar.

Nós, adultos, criamos um mundo que funciona pela lógica do poder e da posse. Quem tem mais manda mais, e quem manda mais é que decide para que lado o mundo vai girar. Com essa forma de agir no mundo, nós estamos provocando a sexta extinção em massa da história e tornando o planeta inabitável. Nós criamos um mundo onde as dívidas somadas de todos os países dão um número maior do que o total de dinheiro que o mundo tem hoje. Um mundo em que seis famílias têm o mesmo que os 3.500.000.000 de pessoas mais pobres do mundo.

Nós não soubemos usar o mundo, e cuidar dele. Somos insuficientes e incapazes. E nossa única esperança é a ajuda – urgente – das crianças.

Gabriel, não é um pouco demais colocar isso nas costas das crianças?

É, e também é o único jeito. Só as crianças podem criar o que Maria Montessori chamou de “um mundo novo, cheio de milagres”.

Como?

As crianças são dotadas de um poder maravilhoso. Elas são as responsáveis por criar o humanidade. Não existe um só adulto que não seja o produto dos esforços da criança que ele foi um dia. E elas podem criar duas humanidades.

Uma humanidade possível é a que deseja posse e poder. As crianças criam essa humanidade quando se desenvolvem em um ambiente que valoriza essas duas coisas, e funciona por essa lógica:

  • Quando dizemos a dois irmãos: esse é seu brinquedo, e esse é o seu.
  • Ou quando cada aluno de uma sala de aula tem o seu próprio lápis.
  • E ainda quando um pai diz: se você não fizer o que eu estou mandando, eu vou… (adicione aqui sua ameaça favorita).
  • E também quando uma professora diz a um aluno: me obedece, eu sou sua professora!

Uma outra humanidade possível funciona pelo compartilhamento e a compaixão. As crianças criam essa humanidade quando crescem e absorvem um ambiente onde coisas como essas acontecem:

  • Uma mãe ou pai abaixam e falam devagar: daqui vinte minutos vamos sair, tá? Vai terminando o que você precisar.
  • Uma escola reconhece que o aprendizado é individual e não se esconde atrás de hábitos e tradições que fingem que o aprendizado é coletivo.
  • Um professor diz para um aluno: vem cá, quero te mostrar uma coisa interessante, em vez de presta atenção que você vai errar isso na prova!
  • Uma família fica em paz enquanto a filha se serve de suco no almoço, e deixa cair um pouquinho para fora do copo.

As crianças são capazes de qualquer coisa, inclusive de reconstruir o mundo todo. Bons construtores usam matéria-prima insignificante para fazer obras magistrais. Pense nos pedaços de pedra que fazem as catedrais, nas barras de ferro e placas de vidro que fazem os edifícios, nos pedaços de madeira que formam grandes embarcações. A matéria-prima é banal. A construção é sublime. A criança faz o mesmo: com a matéria-prima banal das suas experiências no ambiente, ela é capaz de construir um mundo novo e uma nova humanidade.

Não somos nós que vamos reconstruir o mundo. Nós precisamos da ajuda da criança. Ela é a construtura. Mas nós podemos colaborar, humildemente, com a matéria-prima. É o mínimo que podemos fazer. E o máximo. O mestre é a criança.


Maria Montessori descobriu como podemos transformar nossa relação com as crianças, e entendeu também os “porquês” dessas coisas funcionarem. Ela explica isso por toda a sua obra. Conversando com famílias e professores por todo o país eu entendi que era necessário concentrar as principais descobertas de Montessori voltadas para nosso relacionamento com as crianças em um lugar só, e assim nasceu o curso Montessori: Viver em Paz com Crianças. Veja o que alguns participantes disseram:

Curso maravilhoso. Gabriel consegue em pouco tempo contemplar muitos assuntos, trazer referências às obras e ainda tocar e emocionar a quem está assistindo. Parabéns!

Inara Félix, mãe e professora

Estou enxergando melhor o ser humano pequenino que está a minha volta e tenho um mundo de possibilidades para apresentar à minha filha, estou encantada, apaixonada por esse curso. 

Priscilla Rodrigues, mãe

Referências: Mente Absorvente, O Segredo da Infância, Reconstruction in Education, e A Educação e a Paz, de Maria Montessori — Foto de divulgaçao de Jay Hsu.

Deixe uma resposta