Primeiro passo para preparar a casa para seu filho – vídeo

Na série #LarMontessoriResponde, publicamos um vídeo por semana com a resposta para uma pergunta de vocês. Pode deixar a sua nos comentários!

A pergunta respondida semana passada foi:

Qual o primeiro passo para preparar a casa para o meu filho?

A resposta foi um pouquinho além do primeiro passo!

Nos comentários, conte como você preparou sua casa para seu(s) filho(s) e o que você talvez mude depois deste vídeo! Pode também deixar a sua dúvida.


O Lar Montessori tem um minicurso sobre os principais aspectos de Montessori para acompanhar você na transformação da educação que você pratica. Veja o que uma aluna escreveu sobre o curso:

O curso é bem objetivo e claro. Superou as minhas expectativas, pois mesmo resumido, pude compreender a essência e a importância do método Montessori e despertou a curiosidade para conhecer mais sobre o método. Recomendo!

Luana Cardoso de Andrade

Escrito por gabrielmsalomao

"A preparação que nosso método exige do professor é o auto-exame, a renúncia à tirania. Deve expelir do coração a ira e o orgulho, deve saber humilhar-se e revestir-se de caridade. Estas são as disposições que seu espírito deve adquirir, a base da balança, o indispensável ponto de apoio para seu equilíbrio. Nisso consiste a preparação interior, o ponto de partida e a meta." Maria Montessori, em A Criança

3 comentários

  1. Oi, Gabriel! Aqui em casa, com minha primeira filha (hoje ela tem 6 anos) coloquei banquinho no banheiro, banquinho ao lado da cama pra ela subir, produtos de higiene no chão do banheiro, sapatos na última gaveta do armário e algumas roupas na portinha lateral da cômoda, livros numa prateleira baixa de uma estante, também no quarto e na cozinha, utensílios dela na prateleira baixa do móvel, além de cadeira pra ela lavar louça (a atividade preferida dela). Agora, com meu segundo filho (1 ano), tirei o berço e coloquei colchão no chão. Também estou reduzindo aos poucos a quantidade de brinquedos dispostos no chão do quarto (antes ficavam todos misturados num baú). Estou observando os interesses dele e atualmente tem sido blocos de encaixar, tocar tambor e arrastar carrinhos… Adoro estudar e aplicar Montessori!! Abraço!

  2. Em casa, meus filhos, um casal de gêmeos de 2 anos e 6 meses e uma menina de 4 anos, por conta própria, colocam suas cadeirinhas (as que eles usam para as refeições, junto a uma mesa baixa), junto às pias de banheiro, às mesas – da cozinha ou da sala – para enxergar o que tem sobre elas ou alcançar algo. Eles também arrastam uma cadeira da cozinha junto à pia da cozinha, quando querem ajudar a prepara algo ou querem ajudar a lava a louça. E há um bom tempo a amais velha me pede que eu coloque os produtos de higiene (sabonete,shampoo, etc) do box, em uma mesinha baixa ou algo assim. Mas eu ainda não o fiz. Será o próximo passo. Recentemente comprei prateleiras para colocar os livros das crianças em posição mais baixa e ao alcance deles, mas ainda não instalei, Pois nosso apartamento está passando por uma pequena reforma.

  3. Por aqui temos uma torre de aprendizagem.

    Ela é usada nas pias da cozinha e banheiro para proporcionar interacao.

    Preparamos gelatina, pipoca e brigadeiro juntos, mas não damos acesso a facas ou ao fogo. Lavamos a louça também.

    Também usamos pra acessar o vaso (é um menino de 3 anos) para urinar e para acessar a mesa de jantar.

    Há um esforco para considerar o ponto de vista dele, mas há duvidas e conflitos envolvendo outros princípios aos quais fomos apresentados na nossa própria infância. Ainda estamos aprendendo o basico.

    Outra questao é a TV e eletronicos muito acessados, ha dificuldade para oferecer alternativas por falta de conhecimento sobre como lidar com a preferencia pelos eletronicos, que passa por como dar limites sem punir, algo ainda em desenvolvimento embrionario.

    Os princípios montessorianos são alinhados com o que espero pro futuro deles (temos outro filho de 1 mes), mas é algo bem distante da nossa historia.

    Seguimos confiantes, tentando lidar dia a dia com os desafios. São muitos.

Deixe uma resposta