O Incrível Center for Montessori Education

Depois de visitar a American Montessori Society e sorrir até sentir cãibras nas bochechas, eu voltei para o Iona College, em New Rochelle, sabendo que logo alí, a menos de 30 minutos de caminhada do meu quarto, estava montado um dos melhores centros de treinamento Montessori, para um curso de formação de professores e diretores de escola.

Mal entrei no meu quarto, liguei o laptop e escrevi quem eu era, quem me havia indicado o Center for Montessori Education (CME) e porque exatamente eu gostaria muitíssimo de passar uma manhã lá. A resposta não me deixar mais contente:

Caro Gabriel, é bom receber sua mensagem. Também enviei seu email para Biff Maier e Michael e D’Neil Duffy (eles escreveram o livro sobre Educação Cósmica). Vamos coordenar uma manhã para você estar conosco. Quando você pode vir? Ansiamos por encontrá-lo. Marie.

A Marie, que respondeu, é Marie Dugan, que coordena o CME e já foi presidente da American Montessori Society, além de ter assumido diversos outros postos lá dentro. Eu não sabia disso quando conversamos, e só descobri voltando para o Brasil – foi bom. Senti-me mais à vontade e acho que consegui aprender mais assim, sem o medo do julgamento de alguém com tamanha experiência. Já o Biff Maier é um pesquisador incrível, que escreveu “Tornando-se um Educador Cósmico”, um dos melhores textos sobre Educação Cósmica que já li na vida. O casal Duffy eu não conhecia nem de nome até esse o momento, e vim a ver quanto tempo perdi quando tomei contato com o livro dos dois, “Children of the Universe”, um presente para qualquer um que queira montar um currículo de Educação Cósmica para uma escola Montessori.

Marie Dugan e eu tivemos de trocar vários e-mails até conseguirmos combinar nossa conversa para quarta-feira de manhã. Não era o melhor dia para ela – o melhor era terça. Mas era o possível para mim. Na manhã da terça eu acompanharia meus alunos em uma excursão obrigatória. Acabou, no entanto, que na manhã da terça eu descobri que a excursão havia sido transferida para a tarde. Em ordem, o que fiz foi: tomar café da manhã mais rápido, pedir para o segurança da escola chamar um táxi, conferir se eu tinha dinheiro trocado, pegar meu caderno e ir. Esqueci, portanto, a câmera, uma pena. Mas melhor que esquecer o caderno.

Cheguei. Era na Universidade de New Rochelle, que eu não conhecia. Pedi uma dica para a segurança na porta, e ela me indicou a sala. Foi quase uma piada quando eu entrei, porque as salas não estavam exatamente em ordem – ou melhor, elas estavam, mas eu demorei para identificar qual era a ordem. Parecia uma criança pequena diante da Torre Rosa. Finalmente, consegui encontrar a sala à qual deveria me encaminhar e descobri que estava havendo uma aula lá dentro. Eu não queria interromper.

Dei umas olhadinhas pelo vidro, mas eu não sabia qual daquelas quarenta pessoas era a Marie Dugan, então sentei num baquinho na frente da porta e decidi que pediria ajuda ao primeiro que fosse ao banheiro. Por sorte, a primeira a sair da sala foi uma das organizadoras do curso, e chamou a Marie prontamente para mim. Ela veio, sentou-se ao meu lado, e conversamos um pouquinho. Eu me apresentei de novo… Acho que nestes dois dias me apresentei mais vezes que no resto da minha vida todinha. Depois de conversar um pouquinho comigo, Marie me levou até o casal Duffy. Biff Maier não estava mais lá, já tinha voltado para casa. Em poucas palavras, os dois são as pessoas muito competentes mais fofas que eu já conheci!

O casal Duffy (de quem eu não encontrei fotos) e Carole Wolfe (fundadora do CME) conversaram comigo por quase uma hora. Perguntaram tudo sobre a pesquisa que faço na Faculdade de Educação da USP, quiseram saber como era a escola onde eu trabalhava, contei para eles historinhas de projetos nossos e uma anedota que adoro sobre transformações que ocorrem em adolescentes num ambiente livre. Eles, em contrapartida, me deram contatos preciosos (mais contatos!), falaram-me sobre o que é mais importante na educação Montessori adolescente, sobre como abordar Educação Cósmica no Fundamental II e me disseram que devo compartilhar tudo o que descobrir com a pesquisa, por menor que seja, porque o mundo todo está buscando formas de construir uma educação Montessori ideal para adolescentes, e tudo o que der para saber pode ajudar muito. Falaram-me também sobre iniciativas montessorianas em escolas públicas: todos os estados americanos têm pelo menos uma escola pública e já há iniciativas assim em Porto Rico. Mas a melhor parte ficou para o final: quem começou todo esse movimento por Montessori em escolas públicas foi a Celma Perry, que é uma brasileira expert em Montessori, fundadora do Seton Montessori Institute, em Chicago! Quanto orgulho senti do meu país nessa hora!


Depois do bate papo, os Duffy assinaram os livros que comprei deles (“Children of the Universe” e “Love of Learning”) e todos me desejaram muitos e muitos boas sortes! Eu aceitei todos os votos e trago-os para o Brasil comigo. Que tenhamos muita sorte, porque vamos precisar, se quisermos fazer de Montessori a porta de entrada para o futuro brilhante que espera nossas crianças!

O próximo artigo que eu publicar aqui já vai ser sobre educação em casa. Passei tempo demais sem novidades para vocês e já estou me sentindo culpado. Mas quero pedir uma coisa: espalhem! Espalhem! Quem for bom de desenho, desenhe campanhas. Quem for bom de contatos, contate pessoas que podem conhecer Montessori e se apaixonar! Visitando mais gente que trabalha com isso há 30 ou 40 anos foi possível para mim ver muito nitidamente como é compensador espalhar Montessori! Vamos juntos, e até o próximo post!


4 comentários sobre “O Incrível Center for Montessori Education

  1. Ol,a cheguei até seu blog através do grupo Montessori para mamães. Estou em fase de descoberta sobre o que é mais legal para meu filho de 1 ano, mas estou me identificando com o método Montessori. Já estou seguindo o blog, para saber cada dia mais. Sucesso.Tatihttp://amigosdefraldas.blogspot.com.br/

  2. Oi Leiliane, tudo bom?Voc~e já conhece o grupo Montessori Para Mamães, no Facebook? É fantástico, e há uma imensa troca de conhecimento entre pais e educadores montessorianos! – Se você não usa o Facebook, vale a pena entrar só para participar lá! Caso não queira, tem o blog: E tem também o blog do Montessori para Mamães: http://montessoriefamilia.blogspot.com.br/Fora isso, há dois livros e um website fantásticos:- How to raise an amazing child the Montessori way, do Tim Sendin- Montessori from the start, da Paula Polk Lillard- Michael Olaf: http://www.michaelolaf.net/E claro, você pode aparecer e perguntar bastante por aqui! Estou escrevendo pouco porque ando estudando muito, e infelizmente sobra pouco tempo. Mas em breve teremos novidades!

  3. Olá Gabriel, fui apresentada a Montessori pela minha filha que acaba de concluir o curso de pedagogia e seu TCC refletia sobre o método, a paixão dela me instigou. Sou coordenadora pedagógica em escola pública de SP e me interessei quando você falou de sua experiência e também sobre o método para adolescentes. Vou buscar informações, já vi que tem muito no blog e Facebook. Obrigada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s