Comemorações de Final de Ano – Decoração

E chegou dezembro! Com ele, chegam também as datas que, para alguns, são as mais especiais do ano. Hora de preparar a casa, convidar os amigos e conversar. Hora também de preparar pratos deliciosos e oferecê-los aos mais queridos. Hora de renovar a si mesmo para o ano que logo chega.

Tudo muito bem, e tudo muito bom. Mas como fica seu filho em toda esta comemoração? Embora, na tradição cristã, o Natal comemore o nascimento de uma criança e mesmo o Ano Novo seja a celebração do nascimento de um novo ano, aqueles que nasceram recentemente ficam um pouco deslocados enquanto os adultos cantam, comem, e conversam em altas vozes. Alguns dirão que as crianças são as que recebem mais presentes, mas em uma outra data especial, conversamos e chegamos à conclusão de que as crianças não gostam dos presentes em si, mas do aprendizado advindo da experiência que o presente pode proporcionar. Assim, se só nos preocupamos com o presente para a criança, a estamos formalmente excluindo da comemoração.

Nesta sequência, vamos dar uma olhada nas várias formas possíveis de integrar os pequenos nas datas tão especiais que estão chegando. Vamos passar por três pontos interessantes: primeiro, conversaremos um pouco sobre a decoração. As crianças podem e adoram ajudar a pendurar enfeites, grudar coisas, posicionar objetos. Depois, vamos abordar rapidamente a culinária – o que você e seu filho podem fazer juntos para a ceia. Finalmente, vamos pensar sobre como lidar com a noite de comemoração. Às vezes posso adotar, sem querer, uma perspectiva exclusivamente cristã, e por isso peço desculpas aos leitores de outras religiões. Eu vou realmente adorar saber se há comemorações e como elas são para os mais diversos credos. Por favor, dividam conosco nos comentários aquilo que vocês acharem mais interessante!

Primeiro, a decoração. Crianças pequenas gostam muito de coisas pequenas. Às vezes você observa seu filho caçando formigas, ou tentando pegar pequenos ciscos que ficaram na mesa – ou ainda pequenas sujeiras no chão? Isso é a demonstração clara de que, para elas, o que é muito pequeno chama a atenção. Esse fenômeno se dá por mais de uma razão. Os olhos dos pequenos ficam mais perto do chão e isso permite a eles a visão de coisas que nós, de uma distância maior, não vemos. Então, neste caso, não é que as coisas pequenas sejam mais interessantes, é só que eles veem as coisas pequenas e nós não. Em segundo lugar, no entanto, há uma maravilha nas pequenezas: aquilo é dominável. O que é grande não pode ser pego, ou explorado completamente, por alguém que é muito pequeno e ainda não sabe usar muito bem as mãos, as pernas e os olhos. Já o que é pequeno pode ser pego, carregado, experimentado.

Sendo assim, aproveite esse maravilhamento pelo pequeno e ofereça ao seu filho a possibilidade de ajudar a pendurar, por exemplo, os objetos na árvore de Natal. Ensine devagar, objetivamente, passo a passo, com clareza e exatidão como é que se faz: primeiro, abra o fio para pendurar o enfeite (ou segure o ganchinho), em seguida segure o galho, depois encaixe o pendurador aberto no galho e veja se ficou firme, então passe ao próximo enfeite. Dependendo da destreza de seu filho e do equilíbrio dele, a ajuda pode se estender a alguns galhos mais altos com o auxílio de um banquinho ou uma cadeira – até mesmo uma escada baixa – mas fique atenta(o), pode ser que ficar só nos galhos mais baixos seja suficiente ou mesmo que sua casa não precise de uma árvore tão grande assim e ele possa ajudar a decorá-la inteirinha.

Depois da árvore, peça ajuda para o presépio, ou qual sejam os objetos menores que fiquem espalhados por toda a casa. Aqui cabe um exercício que pode ser divertido. Se o seu filho já escreve ou gosta de tentar, ele pode fazer pequenas plaquinhas, em papel ou cartolina mesmo, para colocar em cada objeto. Assim ele cresce sabendo a diferença entre asno, boi, vaca, cordeiro, descobre o que é uma Estrela de Davi e até consegue nomear os personagens religiosos representados na sua comemoração com mais eficiência do que muitos adultos! Não é só uma questão religiosa, mas também um aprendizado cultural muito valioso, e ajuda a organizar montes de figuras novas na mente do seu filho.

Algumas famílias gostam de fazer calendários, eles são interessantes e podem ser belos. Sua função melhor é a de ajudar a criança a organizar o próprio tempo. Mas atente para a dificuldade da conta. Se você tem uma criança muito pequena em casa, procure fazer um calendário que conte de forma progressiva. Em vez de verem quantos dias faltam para o Natal e o Ano Novo, vejam mesmo em que dia estão, no mês, do primeiro de dezembro ao 25 ou 31. Contar progressivamente é mais fácil e mais útil para os primeiros anos de vida.

Com a ajuda das crianças sua casa vai ficar muito mais brilhante, mas mais que isso, os menores estarão realmente envolvidos nas comemorações e vão reconhecer a parte deles em tudo o que sua família e seus amigos disserem que está muito bonito. Vão perceber que conseguem fazer coisas bem feitas, mesmo na escala adulta e isso lhes dará confiança e uma sensação de posse sobre o sentido das datas muito mais aprofundada.

No próximo artigo, vamos conversar sobre como as crianças podem ajudar na cozinha e se tornarem chefs por um dia!

 


4 comentários sobre “Comemorações de Final de Ano – Decoração

  1. Ah, adorei tudo! Muito bom saber que estou no caminho certo! Adotei o calendário progressivo desde o ano passado, e embaixo da árvore qeu eles ajudaram a montar, fiz do presépio uma caixa sensorial. Este ano vou fazer uma árvore só para eles, pequena e com badulaques que eles podem colocar e tirar quando quiserem. Aproveitando sua sugestão, tb vou disponibilizar plaquinhas com os nomes dos itens do presépio. Feliz natal, Gabriel!

    Curtir

  2. OI Gabriel! Aqui adotamos o calendario de forma progressiva (do dia 1 ao 24), que representa a contagem regressiva para o Natal. Foi uma forma de mostrar o tempo passar e temos as surpresas diarias. Hoje foi o dia de fazermos cartões de natal, ontem assistimos um DVD de desenhos natalinos… Amanhã… Surpresa! Esta sendo uma alegria compartilhar esse momento em familia.Como sempre, parabéns pelo post! Adoro!!!

    Curtir

  3. Eu recortei uma árvore de feltro e costurei 24 ganchos (colchetes). Todos os dias estou dando um enfeite tb de feltro para a minha filha pendurar. Ela só tem 3 anos, então não coloquei números. Falei que, no dia em que todos os ganchos estivessem com enfeites, era porque o Natal tinha chegado. Todo dia conto quantos enfeites tem e quantos faltam. Será que ficou pedagógico dessa forma?

    Curtir

  4. Oi, tudo bem? Estou adentrando ao mundo Montessori há pouco tempo, e estou aprendendo ainda… gostaria de saber se é possível fazer essas coisas com uma menininha linda de 1 ano e 1 mês, ou se há ideias diferentes para essa idade, no caso dela ajudar a colocar os enfeites, a entender a comemoração etc… Obrigada!! : )

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s