A Um Adulto Montessori

Em homenagem a todos os pais e professores montessorianos, que fazem valer o 143° aniversário de Maria Montessori.

A quem se diz adulto, quase sempre
É certo ser sério, forte e grande
É certo ainda que nunca se lembre
De como ria e explorava, quando infante

Em quem se diz maior, altivo e importante
É certo encontrar arrogância, ira e poder
É certo que tenha orgulho de viver
Entre sucessos e em meio a gigantes.

É certo que seja dono de tudo
E, generoso, venha a ter e distribuir
É certo ainda que faça grande alarde
Que fale muito e alto, sem ouvir.

É certo a ele ficar sempre de pé
Nunca ajoelhar, nunca silêncio.
É certo sempre voz e atividade
Nunca um mergulho em sonho imenso.

A quem não olha pra baixo e não repara
No futuro que brota aos seus pés
É certo pisar sempre sem cuidado
É certo caminhar sempre sem fé.

Mas quem vê no rosto da criança
O brilho das estrelas, das galáxias
Quem entende no som da voz aguda
A beleza das harpas e das flautas

Quem percebe na pele recém-feita
A eternidade da alegria de brotar
Não pode descrer, fraquejar, esmorecer
Estes não podem desistir de transformar.

A quem percebe na criança vida e fruto
Futuro belo a desabrochar,
Só se permite paz, vida e reverência
Só se permite o amor de semear.

A estes só cabe abraçar forte e sorrir.
Olhos de cientista, mãos de monge,
A estes só cabe olhar de longe
E de perto, ensinar sem corrigir.

A estes, só cabe a certeza
De um futuro cheio de esperança
O vislumbre eterno da beleza
De um mundo a surgir pela criança.

Escrito por gabrielmsalomao

"A preparação que nosso método exige do professor é o auto-exame, a renúncia à tirania. Deve expelir do coração a ira e o orgulho, deve saber humilhar-se e revestir-se de caridade. Estas são as disposições que seu espírito deve adquirir, a base da balança, o indispensável ponto de apoio para seu equilíbrio. Nisso consiste a preparação interior, o ponto de partida e a meta." Maria Montessori, em A Criança

6 comentários

Deixe uma resposta