Montessori Explica Porque Crianças Desobedecem

A criança deseja obedecer os adultos que ela ama. Para Maria Montessori, a primeira educadora a desenvolver uma pedagogia a partir do comportamento natural da criança, “diante do adulto, a criança está disposta à obediência até as raizes do seu espírito”. Mesmo com essa disposição, as crianças desobedecem, mesmo aqueles adultos mais importantes para elas. Montessori começa a nos explicar por que isso acontece em seu livro O Segredo da Infância.

O que o adulto diz permanece gravado [na mente da criança] como se um cinzel o tivesse esculpido em mármore.

Maria Montessori

A criança ama o adulto, deseja se tornar como ele, e permite que os adultos mais próximos dela ajam no seu interior, definindo muito de sua visão do mundo e as relações que estabelece com a vida.

Ao mesmo tempo, uma outra força age sobre a criança, paralela ao adulto: a natureza. A natureza faz exigências à criança, que ela também anseia por atender. Assim como seu amor pelo adulto a conduz a buscar entender e seguir o que o adulto coloca, seu amor pela vida e pelo mundo fazem com que a natureza seja uma mestra da maior autoridade.

Então, temos uma dinâmica forte acontecendo detro da criança: ela precisa obedecer a dois mestres: adulto e natureza. Quando tudo corre bem, os dois pedem a mesma coisa: o adulto a chama para comer quando a natureza coloca a fome em seu caminho; a natureza a chama para abrir e fechar gavetas e o adulto permite. Mas de vez em quando, o adulto entra em choque com a natureza.

Às vezes, a natureza diz à criança que ela precisa andar, para adquirir domínio sobre o movimento de suas pernas. E o adulto diz que a criança precisa ficar parada. A natureza diz à criança que ela deve se vestir sozinha, para adquirir mais um grão de independência em relação ao adulto. O adulto diz que a criança não pode se vestir porque vai colocar tudo ao contrário. Nesses casos, uma tempestade acontece dentro da criança.

Há duas forças enormes a puxando para sentidos opostos. De um lado, o amor pelo adulto faz com que a criança deseje ouvir, entender, e obedecer. De outro, a força que faz a criança se desenvolver a leva para o caminho que a natureza criou.

Do lado de fora, as coisas não são menos tempestuosas. O adulto pede, manda, repete, insiste, brada, barganha e ameaça. A criança permanece impávida, continua o que estava fazendo, sob uma tempestade de violências verbais, que são resultado da incompreensão que o adulto tem sobre o que está acontecendo do lado de dentro da criança.

O adulto tem a impressão de que está sendo desobedecido. E, de fato, Montessori coloca que quando o adulto pede à criança para obedecer a ele, e não às leis naturais que governam seu desenvolvimento, isso seria como “pretender fazer [a criança] interromper o aparecimento dos dentes”. É impossível. Os dentes vão nascer. E as crianças vão fazer de tudo para satisfazer sua necessidade de movimento e independência.

Nessa situação, a criança segue as leis da natureza. E o adulto, que não vê o conflito que ocorre do lado de dentro da criança, pensa: “Ela me desobedeceu”. É invisível para o adulto que a criança na verdade ainda está obedecendo, mas por agora, está obedecendo uma autoridade maior do que qualquer adulto: a vida.

Montessori diz que precisamos entender duas coisas, quanto à obediência: a criança ama, e deseja obedecer aqueles que ama. Mas ela não pode abrir mão da natureza mais profunda. “Os caprichos e a desobediência”, diz Montessori, “[são] aspectos de um conflito vital entre o impulso criador e o amor para com o adulto, que não a compreende”. Essa é a origem do que os adultos chamam de desobediência.


Quer entender mais sobre os níveis do desenvolvimento da obediência na criança? Leia este texto.


Os adultos nem sempre entendem o que acontece dentro das crianças, em sua mente e em suas emoções. Precisaríamos de muito mais tempo para entender tudo. Maria Montessori dedicou esse tempo às crianças, e entendeu. Nós selecionamos algumas das principais descobertas de Montessori para ajudar sua família a ter uma convivência mais pacífica, entre adultos e crianças. O curso que nasceu daí já tem mais de 700 participantes e o que eles dizem nos faz ver que o caminho está certo:

No segundo vídeo já enxerguei tanta coisa sobre minha filha que não conseguia entender! Incrível!!!

Tatiane Alves de Carvalho, Mãe

Há 5 dias eu comprei o curso e assisti tudo. Fiquei tão maravilhado com o conteúdo e com seu amor em passar o que aprendeu que comecei a ler muitos dos seus textos. E só tenho a agradecer. A mudança é real.

Alan, Pai

A principal referência para este texto é o capítulo 17 do livro O Segredo da Infância, de Maria Montessori, Intelecto de Amor.

Disciplina, , , , ,

Escrito por gabrielmsalomao

"A preparação que nosso método exige do professor é o auto-exame, a renúncia à tirania. Deve expelir do coração a ira e o orgulho, deve saber humilhar-se e revestir-se de caridade. Estas são as disposições que seu espírito deve adquirir, a base da balança, o indispensável ponto de apoio para seu equilíbrio. Nisso consiste a preparação interior, o ponto de partida e a meta." Maria Montessori, em A Criança

Deixe uma resposta